Metas Literárias de 2019

Desde o momento em que eu criei o blog ano passado até agora tenho aprendido muitas coisas a respeito não somente de literatura, mas também de criação de conteúdo, organização pessoal e atingir objetivos. Considero que tive um crescimento satisfatório, porém ainda preciso de mais para criar conteúdos melhores e mais relevantes. Neste post compartilharei um pouco sobre quais são minhas metas de leitura e para o blog também.

Leia mais »

Retrospectiva 2º Semestre 2018

Olá Sonhadores! Chegou aquele momento que eu gosto muito de fazer: a Retrospectiva!!!

Estou um pouco triste porque comparado ao primeiro semestre, este foi bem mais fraco e com menos leituras 😦 Eu imaginei que isso fosse acontecer, devido a entrega do meu TCC, mais uma série de coisas que foram acontecendo na minha vida. Porém, tudo já está em ordem e finalizado, agora estou com a corda toda pra ler muito em 2019 e postar muito aqui no blog!

Leia mais »

4 Autores que eu gosto da Escrita

Acho que todo mundo que entrou no universo dos livros, passou por uma iniciação. Um momento onde houve um livro em especial, em que a escrita do autor funcionou tão bem para você e a leitura foi tão fluída, que te provou como é bom ler.

Hoje vou falar sobre quatro autores que eu gosto muito da escrita, descrever os motivos que me fazem gostar e, claro, enaltece-los.

Para começar, já vou direto para a autora que, como e mencionei acima, foi a responsável por me fisgar para o universo dos livros. Agatha Christie tem uma escrita diferenciada, tenho certeza que ela não se tornou o sucesso que é a toa. Seus livros são romances policiais, investigativos, precisam ser objetivos e ter pistas no meio. Ela faz isso com maestria, mas não é isso que a diferencia. A diferença é que ela faz isso de uma forma mais leve e com um toque de humor. Não aquele humor que vai te fazer gargalhar, mas aquele leve alívio cômico que não vai te deixar entrar na bad do tema (afinal estamos falando de crimes e assassinatos).

O próximo autor é Brandon Sanderson, que está sendo publicado recentemente no Brasil e conquistando vários fãs. Este é um exemplo de eu ter certeza que qualquer livro que eu pegar para ler, vou terminar muito rápido e sei que vou gostar. Tem uma escrita dinâmica, as coisas acontecem, não são simplesmente contadas. É quase que o oposto de Stephen King, onde tudo é contado e em poucos momentos coisas acontecem (não desmerecendo o King, mas os livros dele são exemplos que se eu pegar para ler, sei que vou demorar uma vida para terminar).

Dan Brown não poderia ficar de fora. De forma parecida, ele também faz as coisas acontecerem nos livros, não apenas conta. A narrativa é objetiva, não tem enrolação, e o único ponto que poderia se tornar cansativo em suas histórias, ele consegue contornar com discursos muito interessantes e bem imersivos. Todos nós conhecemos a fórmula para seus livros, mas ela não iria funcionar se ele não escrevesse da forma que escreve.

Para terminar, o último autor,  eu já mencionei como gosto da escrita algumas vezes aqui no blog. É um caso um tanto surpreendente; primeiro porque é um autor do século XIX; segundo porque ele é muito detalhista, e isso pode deixar a leitura bem exaustiva. Estamos falando de Júlio Verne, autor de Vinte Mil Léguas Submarinas, Volta ao Mundo em Oitenta Dias e muitas outras obras. Este para mim é o mais difícil de explicar o que me faz gostar da escrita dele. As obras são interessantes por si só, a escrita é objetiva, a ponto de ser polida e seca, sem nenhum tempero especial, como o toque de humor usado por Agatha. Creio que o diferencial é que Verne consegue organizar suas ideias e apresenta-las de uma forma tão boa, que nos faz imergir naquele aventura junto aos personagens.

Enfim, para mim o mais importante é ter uma escrita objetiva. É isso o que todos os autores que eu citei tem em comum, mesmo que cada um com suas particularidades. E você? De que autores você gosta? O que tem de especial na escrita e na forma da narrativa deles que te faz gostar? Tenho muito interesse em saber!

Retrospectiva 1º Semestre 2018

Este é o post de inauguração da série de Retrospectiva Semestral!

Colocarei a lista de todos os livros que li neste período com suas respectivas notas. Entre eles, irei selecionar quais foram meus livros favoritos e comentar um pouco sobre os motivos que me fizeram gostar especialmente deles. E no final, haverá a premiação do pior livro que eu li este semestre junto ao meu desabafo.

LEITURAS DO SEMESTRE

  • Jogador Nº 1 – Ernest Cline 3/5 ♥ ♥ ♥
  • Mentes Ansiosas – Ana Beatriz Barbosa Silva 3/5 ♥ ♥ ♥
  • As Fábulas de Esopo – Esopo 2/5 ♥ ♥
  • Elantris – Brandon Sanderson 5/5 ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
  • O Nome da Rosa – Umberto Eco 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • O Guia do Mochileiro das Galáxias – Douglas Adams 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • Inferno no Colégio Interno – Lemony Snicket 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • O Elevador Ersatz – Lemony Snicket 5/5 ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
  • A Cidade Sinistra dos Corvos – Lemony Snicket 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • O Hospital Hostil – Lemony Snicket 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • O Espetáculo Carnívoro – Lemony Snicket 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • O Escorregador de Gelo – Lemony Snicket 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • A Abadia de Northanger – Jane Austen 3/5 ♥ ♥ ♥
  • A Gruta Gorgônea – Lemony Snicket 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • O Espantalho – Edgar J. Hyde 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • A Colheita das Almas – Edgar J. Hyde 3/5 ♥ ♥ ♥
  • O Penúltimo Perigo – Lemony Snicket 5/5 ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
  • O Fim – Lemony Snicket 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • Origem – Dan Brown 5/5 ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
  • Beijo Sinistro – Edgar J. Hyde 2/5 ♥ ♥
  • A Cadeira de Balanço – Edgar J. Hyde 3/5 ♥ ♥ ♥
  • Lady Susan – Jane Austen 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • O Restaurante no Fim do Universo – Douglas Adams 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • A Vida, o Universo e Tudo Mais – Douglas Adams 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • Até Mais, e Obrigado Pelos Peixes – Douglas Adams 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • História do Olho – Georges Bataille 1/5 ♥
  • Praticamente Inofensiva – Douglas Adams 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • Moby Dick – Herman Melville 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • Fortaleza Digital – Dan Brown 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • A Ilha Misteriosa – Júlio Verne 5/5 ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

FAVORITOS

Elantris – Brandon Sanderson

Depois de ter lido Coração de Aço e Tormenta de Fogo no ano passado, e enquanto eu esperava pela publicação de Calamidade para fechar essa série de Brandon Sanderson, eu queria ler outros livros dele. Eis que ganhei Elantris no Amigo Secreto de onde eu trabalho no final do ano passado e meu desejo foi realizado. Não só realizado, mas também foi satisfatório, pois eu gostei muito.

Resenha Completa: Elantris – Brandon Sanderson

Origem – Dan Brown

Depois de P. S. Allen me recomendar muito os livros de Dan Brown, ele se cansou e me deu Origem de presente de natal ano passado. Eu li e simplesmente amei. Eis que agora estou em busca de ler todos os outros livros dele.

Resenha Completa: Origem – Dan Brown

A Ilha Misteriosa – Júlio Verne

Não sei nem como explicar como eu gosto da forma que Júlio Verne escreve e narra suas histórias. Ele consegue ser detalhado de uma forma tão objetiva, que eu só consigo pensar em como eu gostaria de escrever assim.

Resenha Completa: A Ilha Misteriosa – Júlio Verne

Desventuras em Série – Lemony Snicket

Criei um carinho muito especial por essa série de livros. Comecei a ler ano passado e terminei esse ano (afinal, são 13 Volumes, né?). Eu amo a evolução dos personagens, amo o tom de comédia, amo a simplicidade e inocência dos acontecimentos. Definitivamente foram livros que eu me diverti muito lendo.

Resenha Completa: Desventuras em Série – Lemony Snicket

PRÊMIO PIOR LIVRO

História do Olho – Georges Bataille

Ah, não. Sério, esse livro foi tão horrível que eu me pergunto até hoje “por que eu li?”. Eu fui até o final apenas porque (1) era curto e (2) estava em um nível de bizarrice tão absurdo que se eu não concluísse a leitura essa porcaria ficaria pendente na minha mente para sempre.

Eu não fiz resenha dele no blog por motivos óbvios. Eu nem se quer comentei muito sobre ele com ninguém, mas recomendo muito para não ler. Eu sei que dizer isso as vezes tem o efeito contrário, mas pelo menos eu avisei.

Sabe o que é pior? Essa monstruosidade chega a ter notas altas e várias resenhas falando sobre o quão conceitual ele é. Ah, não. Não gente, não, simplesmente: não.

P.s.: Só queria deixar registrado aqui que Esopo perdeu esse prêmio por pouco.