#UmPoucoSobre Júlio Verne

Olá Sonhadores! Com o passar de muitas leituras nós vamos descobrindo nossos gostos e criando laços com autores que vão se tornando nossos favoritos. Pensando nisso eu resolvi trazer para o blog uma nova série de posts falando #UmPoucoSobre meus autores favoritos (e que frequentemente vocês vêem resenhas de suas obras aqui rsrsrs). Na estreia dessa série escolhi Jules Verne, mais conhecido no Brasil como Júlio Verne, um dos autores mais famosos quando o assunto são aventuras extraordinárias.

Leia mais »

Autor dos Sonhos #TagDosSonhos

Olá Sonhadores! Este é o post de inauguração da nova tag original do blog: #TagDosSonhos

Nesta publicação aqui eu comentei um pouco sobre a origem do nome do blog, mas vamos recapitular, pois é importante para entendermos o conceito dessa nova série de posts.

Leitor dos Sonhos não é um nome baseado na capacidade de ler os sonhos que temos durante o sono, ok? É sobre um idealismo de ter as características e qualidades que gostaríamos como leitores.

O que você, como leitor, espera de si mesmo?

Durante essa série de posts ainda chegaremos nesta questão, mas hoje vamos tratar sobre como seria o Autor dos Sonhos na minha opinião. É bom lembrar que tudo isso se trata de gostos pessoais, então cada pessoa vai ter um autor ideal diferente, assim como um conceito de leitor ideal diferente e também como todos os outros temas que serão ainda abordados.

Leia mais »

4 Autores que eu gosto da Escrita

Acho que todo mundo que entrou no universo dos livros, passou por uma iniciação. Um momento onde houve um livro em especial, em que a escrita do autor funcionou tão bem para você e a leitura foi tão fluída, que te provou como é bom ler.

Hoje vou falar sobre quatro autores que eu gosto muito da escrita, descrever os motivos que me fazem gostar e, claro, enaltece-los.

Para começar, já vou direto para a autora que, como e mencionei acima, foi a responsável por me fisgar para o universo dos livros. Agatha Christie tem uma escrita diferenciada, tenho certeza que ela não se tornou o sucesso que é a toa. Seus livros são romances policiais, investigativos, precisam ser objetivos e ter pistas no meio. Ela faz isso com maestria, mas não é isso que a diferencia. A diferença é que ela faz isso de uma forma mais leve e com um toque de humor. Não aquele humor que vai te fazer gargalhar, mas aquele leve alívio cômico que não vai te deixar entrar na bad do tema (afinal estamos falando de crimes e assassinatos).

O próximo autor é Brandon Sanderson, que está sendo publicado recentemente no Brasil e conquistando vários fãs. Este é um exemplo de eu ter certeza que qualquer livro que eu pegar para ler, vou terminar muito rápido e sei que vou gostar. Tem uma escrita dinâmica, as coisas acontecem, não são simplesmente contadas. É quase que o oposto de Stephen King, onde tudo é contado e em poucos momentos coisas acontecem (não desmerecendo o King, mas os livros dele são exemplos que se eu pegar para ler, sei que vou demorar uma vida para terminar).

Dan Brown não poderia ficar de fora. De forma parecida, ele também faz as coisas acontecerem nos livros, não apenas conta. A narrativa é objetiva, não tem enrolação, e o único ponto que poderia se tornar cansativo em suas histórias, ele consegue contornar com discursos muito interessantes e bem imersivos. Todos nós conhecemos a fórmula para seus livros, mas ela não iria funcionar se ele não escrevesse da forma que escreve.

Para terminar, o último autor,  eu já mencionei como gosto da escrita algumas vezes aqui no blog. É um caso um tanto surpreendente; primeiro porque é um autor do século XIX; segundo porque ele é muito detalhista, e isso pode deixar a leitura bem exaustiva. Estamos falando de Júlio Verne, autor de Vinte Mil Léguas Submarinas, Volta ao Mundo em Oitenta Dias e muitas outras obras. Este para mim é o mais difícil de explicar o que me faz gostar da escrita dele. As obras são interessantes por si só, a escrita é objetiva, a ponto de ser polida e seca, sem nenhum tempero especial, como o toque de humor usado por Agatha. Creio que o diferencial é que Verne consegue organizar suas ideias e apresenta-las de uma forma tão boa, que nos faz imergir naquele aventura junto aos personagens.

Enfim, para mim o mais importante é ter uma escrita objetiva. É isso o que todos os autores que eu citei tem em comum, mesmo que cada um com suas particularidades. E você? De que autores você gosta? O que tem de especial na escrita e na forma da narrativa deles que te faz gostar? Tenho muito interesse em saber!

Minha escritora favorita

Eu já havia mencionado no post sobre “Como comecei a ler“, quem acabou se tornando minha autora preferida. Mas fã que é fã não se contenta com pouco, e eu decidi enaltecer essa rainha com um post dedicado inteiramente a ela. Pode entrar, Agatha Christie.

Conhecida como Rainha do Crime, Agatha foi a autora de maior sucesso do gênero de romance policial, produzindo mais de oitenta livros. Segundo o Guiness Book, foi a romancista que mais vendeu livros, ficando atrás apenas de William Shakespeare e da Bíblia. E se você ainda acha pouco, em reconhecimento a seu talento, a rainha Elizabeth II a condecorou com o título de Dama do Império Britânico.

Para quem quiser saber mais detalhes sobre a vida dela, eu recomendo muito sua autobiografia. Foi o primeiro livro do gênero biográfico que eu li e fiquei encantado com tantos detalhes: o estilo de vida daquela época, as situações que ela passou e como foram surgindo suas obras. Eu já li todos os livros que Agatha Christie publicou, inclusive os com pseudônimo Mary Westmacott, que fogem um pouco do gênero policial, mas que são tão legais quanto os outros.

Para quem nunca teve contato com a autora, decidi fazer um top 5 recomendações para quem quer conhece-la. Ao selecionar esses cinco livros, levei em consideração escolher histórias com estruturas diferentes. São eles:

  1. O Misterioso Caso de Styles – Para começar bem, nada melhor do que começar com o primeiro livro publicado pela autora. É também o primeiro livro onde o famoso detetive Hercule Poirot é apresentado. Este livro segue a estrutura de enredo clássica, onde um crime acontece e todos que estavam presentes no local são suspeitos.
  2.  Assassinato na Casa do Pastor – Quer algo um pouco além de presentes suspeitos? Esse livro envolve todo o vilarejo de St. Mary Mead em um caso de assassinato. Dessa vez, a autora nos apresenta Miss Marple, uma velhinha solteirona que nos mostra que basta experiência de vida e um pouco de conhecimento humano para resolver grandes mistérios.
  3. Os Quatro Grandes – Seguindo um estilo bem diferente, este livro, também protagonizado por Poirot, eleva o nível da investigação para espionagem e máfia. Uma organização secreta comandada por quatro líderes espalhados pelo mundo, levará Hercule Poirot a tentar resolver o maior caso de sua carreira.
  4. Testemunha de Acusação e Outras Histórias – Prefere contos? Temos também. Agatha publicou diversos livros de contos, mas meu favorito é Testemunha de Acusação, que vale muito a pena ler.
  5. E Não Sobrou Nenhum – Não podia faltar na lista um dos livros mais famosos (se não o mais famoso) que ela publicou. Desta vez não temos um detetive. Dez pessoas, sem nenhuma conexão, são convidadas a ir para uma mansão em uma ilha particular. Quando percebem que seu anfitrião não apareceu e que agora elas estão presas e isoladas, as coisas começam a ficar estranhas. Quando a primeira morte ocorre na ilha, os convidados começam a perceber que seus destinos foram selados e todos eles vão pagar pelos crimes que cometeram no passado.

Além desses títulos, há outros que quero destacar. Você pode começar a ler por eles também, são livros que me marcaram bastante e que a qualidade é inquestionável:

  • Punição para a Inocência;
  • Assassinato no Expresso do Oriente;
  • Tragédia em Três Atos;
  • A Casa Torta;
  • Convite para um Homicídio.

Sem dúvidas, Agatha Christie é uma inspiração para muitos escritores atualmente, e conquista até hoje gerações de fãs. Ela foi a autora que me fez voltar a ter o prazer pela leitura. Se você está buscando por isso, tente dar uma chance a ela. Se você já a conhece, indique para seus amigos que não costumam ler muito. A escrita dela é muito simples e fluida, e as tramas prendem o leitor. Particularmente, eu acho ideal para recomendar a novos leitores.