Origem – Dan Brown

Creio que todo mundo que já teve contato com Dan Brown, sendo direto pelos livros ou por resenhas, já ouviu falar sobre a famosa fórmula de suas histórias. Eu não tenho muito a dizer sobre isso, pois apenas li dois livros do autor (sendo este o único com participação do personagem Robert Langdon). Porém, sendo esta a publicação mais recente, tenho certeza que ele aperfeiçoou sua técnica e criou o seu melhor livro.

A história fala sobre Edmond Kirsch, um jovem futurólogo e cientista que descobriu as respostas para as perguntas “De onde viemos?” e “Para onde vamos?”. Seu erro foi querer provocar líderes religiosos antes de divulgar sua descoberta. O famoso personagem de Dan Brown, Professor Robert Langdon, acaba se envolvendo nesta trama por conhecer Edmond e ter sido de grande ajuda em sua carreira e sua descoberta.

A escrita do autor é do jeito que eu gosto: objetiva e com descrições sob medida. Mas o que mais me surpreendeu foi que ele conseguiu passar todos os conceitos e filosofias, que são necessárias para a compreensão do enredo, de uma forma nem um pouco cansativa (como costuma ser em grande parte dos livros que possuem isso). Ele não apenas conseguiu me prender em seus discursos, como também me deixou completamente interessado.

Ação, mistérios e grandes reviravoltas também não faltam. E o melhor: o final te convence! Pelo menos para mim, que passei o livro todo me perguntando se a conclusão seria apenas algo fantasioso demais, a conclusão foi perfeita!

Este foi um post que eu pensei bastante sobre fazer uma resenha como sempre faço ou algo mais livre, com spoilers e algumas discussões a respeito de pontos sobre a história. Talvez eu ainda faça outro post assim, não sei. Mas uma coisa é certa: recomendo.

Fortaleza Digital – Dan Brown

Eu fiquei muito impressionado com a quantidade de pessoas que leram e gostaram desse livro, mesmo ele trazendo tantos conceitos técnicos de T.I. que a maioria acha tão complicados. Como eu já falei outras vezes, eu sou programador e, para mim, foi natural entender todas as situações que envolviam algum desses conceitos. Então eu fiquei pensando: será que as pessoas exageram um pouco sobre achar T.I. tão difícil? Ou será que Dan Brown escreve tão bem que faz qualquer assunto ser facilmente compreendido? Ou será que é irrelevante entender a parte técnica pra entender o contexto da história?

O tema central do livro é Criptografia. Basicamente, a criptografia são técnicas que fazem dados e informações se tornarem ininteligíveis, e somente quem tiver acesso às regras estabelecidas conseguirá decifrar. Seu uso é extremamente comum para que uma informação seja comunicada de uma pessoa a outra sem que ninguém a entenda, caso seja interceptada no meio do caminho.

Os protagonistas desta história são o casal, David e Susan. David é professor de uma universidade, e já no começo ele é convocado para realizar uma missão secreta na Espanha pelo comandante Strathmore, chefe de Susan. Ela é uma líder na NSA, uma agência de segurança dos EUA, responsável por descobrir, guardar e proteger informações sigilosas do país. Nesta organização existe o TRANSLTR: um supercomputador capaz de burlar qualquer criptografia. Desta forma, os EUA acaba sempre conseguindo informações secretas de criminosos e terroristas, podendo evitar qualquer tipo de ataque que eles planejarem.

A trama começa quando um japonês, ex-funcionário dessa organização, anuncia que desenvolveu uma criptografia que é impossível de ser burlada, até mesmo pela NSA; e a nomeou como Fortaleza Digital. O Comandante Strathmore tenta usar o supercomputador para ter certeza que a Fortaleza Digital não é uma farsa, e depois de horas sem resultado, ele fica realmente preocupado. Se essa criptografia cair em mãos erradas, seria impossível para eles evitarem os crimes e atos terroristas no país.

Devo dizer que, apesar deste ser o primeiro livro de Dan Brown, ele já segue o fórmula de sucesso dos seus livros (com direito as reviravoltas que sempre adoramos). Porém, da para perceber que o autor está em desenvolvimento ainda e que muita coisa é melhorada nas obras seguintes. Minha única critica a esse livro, é como muitas vezes o autor faz seus personagens darem voltas e voltas frustrantes para atingirem seus objetos.

Fortaleza Digital é um livro interessante. Mesmo agora, ainda não fui capaz de responder às perguntas que fiz no início e, sendo assim, não sei para que público eu recomendaria essa leitura. Prefiro então, pensar que qualquer pessoa pode ler e gostar desse livro, para que qualquer pessoa possa gostar e aprender um pouco mais sobre o mundo da tecnologia. Um mundo que eu gosto bastante.