Títulos que eu gosto e desgosto

Assim como as capas, os títulos também são um fator que pode te induzir a se interessar pelo livro ou te afastar totalmente. Isso é algo que varia de pessoa para pessoa, sem contar que nós mesmos mudamos com o tempo e podemos nos interessar por algo que antes não gostávamos. Mas enfim, hoje vou falar um pouquinho sobre quais títulos me afastam ou me atraem atualmente!

Vamos começar com títulos que usam nomes próprios. Este é um caso complicado para mim, pois tendem a não me atrair, mas os que eu acabo lendo ficam marcados. Elantris do Brandon Sanderson e Lady Susan de Jane Austen são exemplos que eu vou sempre lembrar pelo nome. Livros clássicos como Frankenstein e Drácula, ou até mesmo grandes sucessos como Harry Potter e Percy Jackson são casos a parte, pois a fama que eles carregam atraem antes do que o próprio título.

Um tipo de título que me irrita um pouco são os que carregam “A(O) Garota(o) que/de/no” ou “A(O) Menina(o) que/de/no” ou qualquer derivado disso. Passa uma impressão descarada de cópia e me afasta muito fácil. Apesar de eu ter lido A Garota no Trem e gostado muito, foi numa época em que esses títulos ainda não tinham se proliferado.

Semelhante ao exemplo acima, estão os títulos “O(A) Alguma Coisa”. Este caso pode ser uma faca de dois gumes, eles funcionam para mim quanto mais diferentes forem e me afastam quanto mais básicos. O Iluminado do Stephen King e O Alquimista de Paulo Coelho, por exemplo, são casos que funcionaram.

Para finalizar, os títulos que eu mais gosto são os que me fazem questionar algum detalhe que só lendo o livro eu vou descobrir o que é. Aqui temos muitos exemplos: Caixão Fechado de Sophie Hannah, na minha cabeça de fã de histórias investigativas já vem milhões de questionamentos, através de só essas duas palavras. Fortaleza Digital de Dan Brown, é um título em que a analogia com fortaleza me fez ver como ele foi bem pensado. O Hospital Hostil de Desventuras em Série é um dos meus favoritos da série, pois além de combinar com a história, também tem esse jogo de palavras que eu achei bem divertido. Os títulos inusitados da série do Guia do Mochileiro das Galáxias é um ótimo exemplo de como títulos fora do padrão podem ser legais.

Bem, por hoje é só. Compartilhe comigo os títulos que você considera atraentes e o motivo, tenho curiosidade em saber. E até o próximo post!

Agatha Christie no Meitantei Poirot to Marple

Vocês querem uma coisa inusitada? Então aqui está: um anime baseado nas obras de Agatha Christie. É isso mesmo que você leu, um anime. Quando eu descobri a existência dessa série eu fiquei muito surpreso.

Este anime é uma adaptação que conta a história de Maybelle West, uma nova personagem que jamais foi citada em nenhuma obra original da Agatha. Porém, ela é filha do escritor Reymond West, que é sobrinho da famosa Miss Marple e apareceu em alguns livros como Os Treze Problemas.

agatha1.png

Maybelle, junto com seu mascote Oliver, um simpático patinho, acaba se tornando assistente do detetive Hercule Poirot. E juntos com os outros dois companheiros de Poirot, Hastings e Miss Lemon, eles se aventuram em mistérios e crimes baseados nos romances e contos que Agatha Christie publicou.

Ele foi exibido pela NHK no Japão entre os anos de 2004 e 2005, e conta com 39 episódios. Segue abaixo as obras adaptadas para os episódios:

  • O Roubo da Jóias no Grand Metropolitan (Poirot Investiga);
  • A Aventura do Apartamento Barato (Poirot Investiga);
  • Estranha Charada (Os Três Ratos Cegos e Outras Histórias);
  • O Caso da Empregada Perfeita (Os Três Ratos Cegos e Outras Histórias);
  • Os Crimes ABC;
  • O Primeiro-Ministro Sequestrado (Poirot Investiga);
  • A Aventura da Tumba Egípcia (Poirot Investiga);
  • O Crime da Fita Métrica (Os Três Ratos Cegos e Outras Histórias);
  • Os Lingotes de Ouro (Os Treze Problemas);
  • O Gerânio Azul (Os Treze Problemas);
  • A Casa do Penhasco;
  • A Aventura do Pudim de Natal (A Aventura do Pudim de Natal);
  • A Testemunha Ocular do Crime;
  • O Expresso de Plymouth (Os Primeiros Casos de Poirot);
  • Motivo x Oportunidade (Os Treze Problemas);
  • A Aventura da Cozinheira de Clapham (Os Primeiros Casos de Poirot);
  • Um Crime Adormecido;
  • O Caso das Amoras Pretas (A Aventura do Pudim de Natal);
  • O Desaparecimento do Sr. Davenheim (Poirot Investiga);
  • Morte nas Nuvens;

As minhas impressões sobre esta produção são positivas. Gosto da abertura e do encerramento, gosto dos traços dos personagens, gosto das adaptações dos enredos. A única questão é que é um pouco mais voltado para o público infantil, e isso pode não agradar algumas pessoas. Porém, eu recomendo muito, especialmente para quem já é do meio do mundo dos animes, mas também para quem quer entrar e não consegue encontrar temas do seu interesse. Essa é uma boa oportunidade!

Disclaimer: Acabei atrasando este post por problemas pessoais, peço desculpas.

Resenha | Garoto Encontra Garoto – David Levithan

Meu primeiro contato com David Levithan foi através de Will & Will, que eu não gostei muito. Porém, ao ler Garoto Encontra Garoto, eu notei que os pontos que foram negativos pra mim no outro livro, não existem nesse; na verdade, chegam até a ser opostos. Enquanto um tem um ar totalmente rebelde e ofensivo, o outro abriu espaço para um mundo onde, apesar dos problemas, existe um respeito tão bonito entre as pessoas, que eu fiquei maravilhado.

A trama da história é bem simples: temos o Paul, um adolescente que (a) se apaixona por um garoto, que (b) ainda tem assuntos inacabados com o ex-namorado, que (c) tem sua melhor amiga em um novo relacionamento questionável, e que (d) tem um amigo passando por problemas entre sua sexualidade e sua família. A mistura desses assuntos na vida de Paul o faz cometer erros, causando problemas e desentendimentos, que vão ser resolvidos ao longo da história.

O que mais me cativou neste livro foi o mundo em que a história se passa. Não é realista, não é o mundo que vivemos hoje, é um lugar que estamos tentando chegar, onde há mais respeito e igualdade; chega a passar um ar de utopia. Algumas pessoas criticaram isso, não consideraram crível (e que triste se dar conta disso), mas eu fiquei muito feliz de ver esse mundo e poder ficar um pouco nele através da história do Paul.

O livro é cheio de representatividade, um pouco de comédia, um pouco daquele romance adolescente bonitinho que todos queremos ter, e um pouco de esperança. Acho que dos livro com temática LGBT+ que eu já li, esta é uma indicação ideal pra quem precisa de um pouquinho de leveza.

Retrospectiva 1º Semestre 2018

Este é o post de inauguração da série de Retrospectiva Semestral!

Colocarei a lista de todos os livros que li neste período com suas respectivas notas. Entre eles, irei selecionar quais foram meus livros favoritos e comentar um pouco sobre os motivos que me fizeram gostar especialmente deles. E no final, haverá a premiação do pior livro que eu li este semestre junto ao meu desabafo.

LEITURAS DO SEMESTRE

  • Jogador Nº 1 – Ernest Cline 3/5 ♥ ♥ ♥
  • Mentes Ansiosas – Ana Beatriz Barbosa Silva 3/5 ♥ ♥ ♥
  • As Fábulas de Esopo – Esopo 2/5 ♥ ♥
  • Elantris – Brandon Sanderson 5/5 ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
  • O Nome da Rosa – Umberto Eco 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • O Guia do Mochileiro das Galáxias – Douglas Adams 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • Inferno no Colégio Interno – Lemony Snicket 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • O Elevador Ersatz – Lemony Snicket 5/5 ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
  • A Cidade Sinistra dos Corvos – Lemony Snicket 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • O Hospital Hostil – Lemony Snicket 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • O Espetáculo Carnívoro – Lemony Snicket 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • O Escorregador de Gelo – Lemony Snicket 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • A Abadia de Northanger – Jane Austen 3/5 ♥ ♥ ♥
  • A Gruta Gorgônea – Lemony Snicket 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • O Espantalho – Edgar J. Hyde 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • A Colheita das Almas – Edgar J. Hyde 3/5 ♥ ♥ ♥
  • O Penúltimo Perigo – Lemony Snicket 5/5 ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
  • O Fim – Lemony Snicket 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • Origem – Dan Brown 5/5 ♥ ♥ ♥ ♥ ♥
  • Beijo Sinistro – Edgar J. Hyde 2/5 ♥ ♥
  • A Cadeira de Balanço – Edgar J. Hyde 3/5 ♥ ♥ ♥
  • Lady Susan – Jane Austen 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • O Restaurante no Fim do Universo – Douglas Adams 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • A Vida, o Universo e Tudo Mais – Douglas Adams 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • Até Mais, e Obrigado Pelos Peixes – Douglas Adams 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • História do Olho – Georges Bataille 1/5 ♥
  • Praticamente Inofensiva – Douglas Adams 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • Moby Dick – Herman Melville 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • Fortaleza Digital – Dan Brown 4/5 ♥ ♥ ♥ ♥
  • A Ilha Misteriosa – Júlio Verne 5/5 ♥ ♥ ♥ ♥ ♥

FAVORITOS

Elantris – Brandon Sanderson

Depois de ter lido Coração de Aço e Tormenta de Fogo no ano passado, e enquanto eu esperava pela publicação de Calamidade para fechar essa série de Brandon Sanderson, eu queria ler outros livros dele. Eis que ganhei Elantris no Amigo Secreto de onde eu trabalho no final do ano passado e meu desejo foi realizado. Não só realizado, mas também foi satisfatório, pois eu gostei muito.

Resenha Completa: Elantris – Brandon Sanderson

Origem – Dan Brown

Depois de P. S. Allen me recomendar muito os livros de Dan Brown, ele se cansou e me deu Origem de presente de natal ano passado. Eu li e simplesmente amei. Eis que agora estou em busca de ler todos os outros livros dele.

Resenha Completa: Origem – Dan Brown

A Ilha Misteriosa – Júlio Verne

Não sei nem como explicar como eu gosto da forma que Júlio Verne escreve e narra suas histórias. Ele consegue ser detalhado de uma forma tão objetiva, que eu só consigo pensar em como eu gostaria de escrever assim.

Resenha Completa: A Ilha Misteriosa – Júlio Verne

Desventuras em Série – Lemony Snicket

Criei um carinho muito especial por essa série de livros. Comecei a ler ano passado e terminei esse ano (afinal, são 13 Volumes, né?). Eu amo a evolução dos personagens, amo o tom de comédia, amo a simplicidade e inocência dos acontecimentos. Definitivamente foram livros que eu me diverti muito lendo.

Resenha Completa: Desventuras em Série – Lemony Snicket

PRÊMIO PIOR LIVRO

História do Olho – Georges Bataille

Ah, não. Sério, esse livro foi tão horrível que eu me pergunto até hoje “por que eu li?”. Eu fui até o final apenas porque (1) era curto e (2) estava em um nível de bizarrice tão absurdo que se eu não concluísse a leitura essa porcaria ficaria pendente na minha mente para sempre.

Eu não fiz resenha dele no blog por motivos óbvios. Eu nem se quer comentei muito sobre ele com ninguém, mas recomendo muito para não ler. Eu sei que dizer isso as vezes tem o efeito contrário, mas pelo menos eu avisei.

Sabe o que é pior? Essa monstruosidade chega a ter notas altas e várias resenhas falando sobre o quão conceitual ele é. Ah, não. Não gente, não, simplesmente: não.

P.s.: Só queria deixar registrado aqui que Esopo perdeu esse prêmio por pouco.

Resenha | Origem – Dan Brown

Creio que todo mundo que já teve contato com Dan Brown, sendo direto pelos livros ou por resenhas, já ouviu falar sobre a famosa fórmula de suas histórias. Eu não tenho muito a dizer sobre isso, pois apenas li dois livros do autor (sendo este o único com participação do personagem Robert Langdon). Porém, sendo esta a publicação mais recente, tenho certeza que ele aperfeiçoou sua técnica e criou o seu melhor livro.

A história fala sobre Edmond Kirsch, um jovem futurólogo e cientista que descobriu as respostas para as perguntas “De onde viemos?” e “Para onde vamos?”. Seu erro foi querer provocar líderes religiosos antes de divulgar sua descoberta. O famoso personagem de Dan Brown, Professor Robert Langdon, acaba se envolvendo nesta trama por conhecer Edmond e ter sido de grande ajuda em sua carreira e sua descoberta.

A escrita do autor é do jeito que eu gosto: objetiva e com descrições sob medida. Mas o que mais me surpreendeu foi que ele conseguiu passar todos os conceitos e filosofias, que são necessárias para a compreensão do enredo, de uma forma nem um pouco cansativa (como costuma ser em grande parte dos livros que possuem isso). Ele não apenas conseguiu me prender em seus discursos, como também me deixou completamente interessado.

Ação, mistérios e grandes reviravoltas também não faltam. E o melhor: o final te convence! Pelo menos para mim, que passei o livro todo me perguntando se a conclusão seria apenas algo fantasioso demais, a conclusão foi perfeita!

Este foi um post que eu pensei bastante sobre fazer uma resenha como sempre faço ou algo mais livre, com spoilers e algumas discussões a respeito de pontos sobre a história. Talvez eu ainda faça outro post assim, não sei. Mas uma coisa é certa: recomendo.