Resenha | Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo – Benjamin Alire Sáenz [P. S. Allen]

Olá, Sonhadores! Tudo bem com vocês? Indo direito ao assunto, a resenha de hoje vai tratar de um livro que está bombando por aí, dividindo opiniões, sendo ameaço de cancelamento e sendo aclamado como atemporal e necessário. E como a segunda parte já está circulando pelas livrarias é melhor falarmos sobre ele logo. Vamos lá?!

“…Só não sabia como falar com eles, como ser eu perto deles. Andar com outros caras me dava a sensação de ser burro e deslocado. Era como se todos fizessem parte de um clube do qual eu não era sócio.”

AriDante (apelido que o livro ganhou por ter um título imenso) narra a historia de dois amigos no verão de 1987. De um lado temos Aristóteles: calado, rebelde, mal-humorado e extremamente antissocial. Do outros temos Dante: jovial, aventureiro, excêntrico e poético. Ambos se conhecem à beira de uma piscina em um dia muito quente e, à partir de então, vários passeios de bicicleta, corridas matinais e acidentes graves vão acontecer.

A amizade improvável entre duas pessoas tão opostas vai florescendo dia a dia; um aprendendo com o outro. Até que, claramente, alguém precisa se mudar para longe. Porém, essa distância não será o fim da amizade, mas o início de sentimentos, sensações e descobertas que até então estavam camuflados por hormônios e ansiedade. Será que a maturidade vai trazer o esclarecimento necessário para que eles entendam o que sentem um pelo outro?

Indo direto aos aspectos positivos da história, a escrita é lindamente poética, com passagens que merecem uma marcação para serem lidas depois. A narrativa é lenta e sem um clímax definido, uma vez que vai retratar o desenrolar dessa amizade ao longo dos quase dois anos que a historia conta. Porém, isso não torna o livro maçante, na verdade o autor conseguiu tornar esse fato uma fonte de curiosidade para o leitor (O que vai acontecer a seguir?).

Como todo livro de temática LGBTQIA+, passa pela linha clichê do autoconhecimento e aceitação que uma outra pessoa nos causa quando ficamos apaixonados. Porém, a história é narrada do ponto de vista de Ari, que não tem uma boa autoconsciência de sua sexualidade. Ele está tão imerso em problemas familiares e empregando tanta energia em ignorar o mundo ao redor que nem percebe quem é e o que quer. Esta é a diferença do livro para a linha clichê: mostrar o quanto negligenciamos a nós mesmos afeta nosso humor, nossa vontade e nossas perspectivas.

Outro fato é a diferença entre os dois núcleos familiares narrados: em ambos existe o amor, porém em um está escrachado e no outro encoberto por segredos. Mais uma vez o impacto familiar é retratado como um fator importante para a construção do caráter, da segurança e da saúde mental.

Dos aspectos negativos, os personagens centrais são insuportáveis e inverossímeis. Dante é irritantemente alegre e de bem consigo mesmo, o que seria impossível de ocorrer uma vez que ele é um adolescente gay, excêntrico e que vive nos anos 80. Claro que não é uma utopia de ocorrer, mas trazendo para a realidade comum, ele sofreria bullying ou exclusão por parte dos colegas de escola. Acredito que o autor poderia ter retratado essas coisas, mas feito um Dante que não se deixa influenciar por elas.

Já Aristóteles é o típico adolescente chato, respondão, que carrega uma nuvem de chuva escura de estimação, que odeia tudo e todos. Ele passa a maior parte do tempo se abstendo de responder ao carinho e amizade que Dante e os pais oferecem. Ele tem atitudes deliberadamente negligentes e egoístas. Ele não age como age por impulso e falta de sabedoria, mas sim por escolha própria.

Bom, o livro tem seus altos e baixos e possui sim algumas discussões necessárias como homofobia, transtorno de ansiedade, dependência emocional e TEPT. Eu recomendo a leitura. mas com expectativas baixas. A linguagem poética é o grande ponto alto da obra.

Até a próxima!

“Passara todo aquele tempo tentando descobrir os segredos do Universo, os segredos do corpo, do coração. Todas estas respostas estavam tão próximas e, contudo, sempre as combati sem saber.”


Avaliação

Avaliação: 3.5 de 5.

Se interessou? Compre este livro pelo meu link da Amazon e apoie o blog!

SkoobGoodreads


Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo

Benjamin Alire Sáenz

ISBN: 978-85-657-6535-0

2014 – Seguinte

392 páginas (Pt/Br)

Sinopse: Dante sabe nadar. Ari não. Dante é articulado e confiante. Ari tem dificuldade com as palavras e duvida de si mesmo. Dante é apaixonado por poesia e arte. Ari se perde em pensamentos sobre seu irmão mais velho, que está na prisão.
Um garoto como Dante, com um jeito tão único de ver o mundo, deveria ser a última pessoa capaz de romper as barreiras que Ari construiu em volta de si. Mas quando os dois se conhecem, logo surge uma forte ligação. Eles compartilham livros, pensamentos, sonhos, risadas – e começam a redefinir seus próprios mundos. Assim, descobrem que o amor e a amizade talvez sejam a chave para desvendar os segredos do Universo.

Um comentário sobre “Resenha | Aristóteles e Dante Descobrem os Segredos do Universo – Benjamin Alire Sáenz [P. S. Allen]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s