Resenha | Cinco Semanas em um Balão – Júlio Verne

Olá aventureiros sonhadores! Hoje venho com mais uma resenha de um livro de Julio Verne: Cinco Semanas em um Balão. Desta vez não se trata de uma aventura no mar como em Vinte Mil Léguas Submarinas e nem no subsolo como em Viagem ao Centro da Terra, mas sim pelos ares, numa difícil e dramática aventura sobrevoando a África selvagem em um balão.

“- Acha que eu fiz todo o possível para impedir essa viagem?
– Sim, fez.
– Neste caso, minha consciência está tranquila e vou com você.”

Sobre a História

Tudo se passa em uma época em que ainda não se conhecia nossa planeta totalmente. Haviam muitos mistérios e muitas oportunidades de exploração. O Dr. Samuel Fergusson era um britânico que reconhecia essas oportunidades e estava sempre em busca de aventuras. Depois de dois anos silenciosos em sua vida, o Dr. Fergusson ressurge com o audacioso e desacreditado plano de explorar a África selvagem em um balão.

Para acompanha-lo nessa empreitada temos seu fiel criado, José Wilson, e Ricardo Kennedy, um caçador e amigo de longa data de Samuel. Ricardo é extremamente cético com a ideia de explorar a África em um balão e tenta de todas as formas convencer o amigo de que é um plano absurdo que inevitavelmente falhará. Mas mesmo depois de toda a argumentação, Ricardo percebe que terá que acompanhar o Dr. Fergusson, pois o mesmo não pretende desistir.

Obs.: José e Ricardo podem se chamar Joe e Dick (respectivamente) dependendo da edição do livro.

O balão, nomeado Vitória, é preparado e eles partem com o objetivo de explorar a África em cinco semanas, buscando a nascente do rio Nilo e todos os mistérios que este selvagem continente esconde.

facetune_26-03-2019-00-53-44

Minhas Considerações

Apesar de já serem amigos desde o princípio, a amizade entre os personagens vai se desenvolvendo ao longo da história e os fazendo criar verdadeiros laços entre si, a ponto de se sacrificarem pelo bem do outro.

Uma coisa importante para se destacar é que Verne trata a África da forma com que era vista na época. Cheia de preconceitos, tratando os nativos como completos selvagens violentos e, principalmente, de forma imaginativa, pois ele não explorou literalmente o continente em um balão para ter alguma credibilidade nos relatos. Porém, ele faz isso com tanta maestria que nos faz acreditar que ele era um dos personagens.

Para quem já leu livros do autor ou alguma resenha dele aqui no blog, sabe que eu sempre menciono a linguagem que ele costuma usar em suas obras. Eu gosto, mas sei que bastante gente, especialmente leitores mais novos, não. No começo do livro é retratado de forma bem mais técnica a preparação do balão para a viagem e isso pode se tornar meio maçante, mas, como sempre, Verne consegue fazer isso de forma a tornar tudo muito interessante.

Depois de ter lido as obras mais famosas do autor, eu confesso que fiquei com receio de acabar não gostando muito das outras. Claro que esta ainda é uma das obra populares e eu gostei, mas espero que este temor não se concretize nas próximas leituras. De qualquer forma, este livro eu recomendo bastante, especialmente se você está em busca de aventuras.

“E o Vitória alçou-se rapidamente nos ares, enquanto quatro peças de artilharia do Resoluto salvavam em sua homenagem.”


Avaliação

♥ ♥ ♥ ♥

SkoobGoodreads

CINCO_SEMANAS_EM_UM_BALAO_1283713841BTítulo: Cinco Semanas em um Balão (Cinq semaines en ballon)

Autor: Júlio Verne

Editora: Bisordi

Ano: 1972 (1863)

Páginas: 264

Idioma: Português (Francês)

Sinopse: Na época dourada das grandes explorações ao continente africano, o Dr. Samuel Fergusson dispõe-se a fazer a viagem mais arrojada de todas: atravessar a África, de leste a oeste, num balão. Acompanhado pelo jovem José Wilson, o seu fiel criado, e pelo seu amigo de longa data Ricardo Kennedy, um intrépido e bravo caçador escocês, partem da ilha de Zanzibar a bordo do Vitória, um aeróstato especialmente concebido por Fergusson para a ocasião. Aventurando-se por territórios desconhecidos, a coragem dos três amigos é constantemente posta à prova perante os inúmeros perigos com que se vão deparando. Desde nativos aguerridos a animais ferozes nunca antes vistos por olhos europeus, passando por paisagens desoladoras e por outras fabulosas, somos levados numa aventura fantástica como só a prodigiosa mente de Júlio Verne poderia criar.

* Informações da publicação original entre parênteses

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s