O Amor Segundo Buenos Aires - Fernando Scheller

Resenha | O Amor Segundo Buenos Aires – Fernando Scheller

Olá, Sonhadores! Chegamos finalmente na última resenha do ano e, olha, 2021 foi intenso! Para fechar esse ciclo, trago um livro que nos faz refletir um pouco sobre a passagem da vida, sobre relacionamentos que vem e vão, sobre mudanças, transformações e muitas outras questões que geralmente nos vem em mente na virada de ano.

“Não tem ato de amor maior do que pegar alguém pela mão e mostrar o caminho, iluminar as noites escuras.”

O Amor Segundo Buenos Aires é um livro que fala sobre relacionamentos nas suas mais diversas representações: amizade, romance e família. E como o próprio título entrega, se passa em Buenos Aires. O pilar central da história é Hugo, um homem que foi para a Argentina por causa da namorada, Leonor, que buscava desesperadamente uma aproximação com o pai. Porém, ao longo dos capítulos somos apresentados a mais personagens em volta deles, como os pais e os amigos de Hugo, que acabam tendo histórias tão interessantes (ouso dizer até mais) quanto o protagonista.

Aqui eu já quero levantar três questões. A primeira é que cada capítulo é narrado por um personagem diferente falando sobre outro. Por exemplo, temos o capítulo de Hugo falando sobre Leonor, depois de Eduardo, amigo de Hugo, falando sobre o mesmo, e por aí vai. A primeira preocupação que me vem a cabeça neste formato de livro é que o autor precisa conseguir dar vozes diferentes para cada personagem e fazer a gente enxergar cada personalidade na narrativa. E neste teste o livro passou com sucesso. Não tive nenhum problema com isso e nem ninguém que participou do clube de leitura. Inclusive, esqueci de comentar, esta também foi uma leitura do clube do blog MãeLiteratura.

A segunda e terceira questões são os únicos pontos que sinto que o livro pecou um pouquinho. Apesar do autor ter conseguido dar essas vozes diferentes aos personagens e criar tramas interessantes para eles, acabou que Hugo ficou super apagado na história. E não foi nem por ter sido esquecido, pois ele está quase sempre presente em todos os capítulos. Foi a trama dele em si que pareceu mais fraca comparada as outras. E o outro problema foi que Buenos Aires, neste livro, é aquele caso de um lugar acabar se tornando também uma personagem, mas que, infelizmente, não conseguiu me fazer conectar com ela, nem com os lugares que o autor quis mostrar, nem com as pessoas. Sinto que faltou muito uma construção da ambientação. Talvez precisasse ser mais descritivo, talvez incluir mais cenas de interações com habitantes fora o círculo dos personagens, não sei. Só sei que nunca tive muito interesse em visitar Buenos Aires e terminei o livro ainda sem vontade.

Os destaques do livro para mim foram Eduardo e seu novo namorado, Daniel. Tive uma relação muito conflituosa durante a leitura, pois a relação entre eles parecia ótima, mas ao mesmo tempo estranha. Daniel me deixava desconfortável por ser muito fechado e… esquisito. Mas, no fim, o melhor capítulo do livro, de longe, foi o narrado pelo Daniel. Foi o mais bem escrito, sensível e tocante.

Como eu disse no início, as histórias contadas no livro fazem a gente refletir um pouco sobre como tudo na vida passa e se transforma, que o fim de algo é o início de outro e que nada é definitivo e imutável. Enfim, são muitas questões e tenho certeza que alguma vai te pegar. O livro é muito bem escrito e rápido de ler. Recomendo para todos os tipos de leitores. Para quem tem certo rancinho de romance, não se preocupe, o título e a capa enganam, mas o livro é mais que isso.

“Uma coisa posso te dizer com certeza: não me arrependo de nada. Eu sei por que tomei cada uma de minhas decisões. E assumo toda a responsabilidade por elas.”


Avaliação

Avaliação: 3 de 5.

Se interessou? Compre este livro pelo meu link da Amazon e apoie o blog!

SkoobGoodreads


O Amor Segundo Buenos Aires

Fernando Scheller

ISBN: 978-85-805-7917-8

2016 – Intrínseca

288 páginas (Pt/Br)

Sinopse: Buenos Aires, com suas largas avenidas, cafés em estilo europeu e bairros charmosamente decadentes, é cenário e ao mesmo tempo personagem das histórias de amor presentes neste romance arrebatador.
É por amor que Hugo deixa o Brasil rumo à capital argentina. Embora o relacionamento com Leonor não sobreviva, seu fascínio pela cidade resiste à dor da separação e à descoberta de que sofre de uma grave doença. Hugo cria laços com o arquiteto Eduardo e com a comissária de bordo Carolina, que evidenciam o poder regenerador das amizades verdadeiras. Ele se reaproxima de seu pai, Pedro, que troca a rotina de um casamento desgastado por uma vida em que é possível encontrar profundos afetos.
Cada personagem tem a oportunidade de contar a sua versão dos fatos, numa trama absolutamente democrática. Impossível não se encantar com a presença de espírito e o senso de humor de Carolina, a lealdade de Eduardo, a sensatez e a determinação de Daniel, o jeito excêntrico de Charlotte. Em comum, esses personagens adoráveis têm uma enorme capacidade de amar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s