Resenha | Sapiens – Uma Breve História da Humanidade – Yuval Noah Harari

Olá sonhadores! Ler ficção é sempre muito legal. Nos faz viajar para outros mundos sem sair do lugar, faz com que deixemos nossos problemas do dia a dia de lado um pouco e nos divertimos, sofremos e vivemos na pele dos personagens. Porém, a vida real continua aqui e é muito importante que também conheçamos a nossa história, a história da nossa sociedade.

Nós aprendemos muito sobre isso na escola, mas naturalmente não damos valor o suficiente para esses ensinamentos quando somos jovens e quando ficamos mais velhos e vamos percebendo a necessidade e importância de conhecer o passado, sentimos essa ausência de conhecimentos. Sentindo isso, decidi ir atrás de um livro que eu ouvia muito falar e que resume tudo isso de forma objetiva: Sapiens – Uma breve história da humanidade. Hoje vamos falar um pouco sobre ele.

“Diferente de física ou economia, a história não é um meio de fazer previsões exatas. Estudamos história não para conhecer o futuro, e sim para ampliar nossos horizontes, entender que nossa situação presente não é natural nem inevitável e que, consequentemente, existem mais possibilidades diante de nós do que imaginamos. Por exemplo, estudar como os europeus dominaram a África nos permite entender que não existe nada de natural ou inevitável na hierarquia racial e que o mundo poderia muito bem ser organizado de outra forma.

Apesar de na ficção a gente procurar autores com mais credibilidade, não é muito difícil também dar chances para escritores novos ou que ainda não conhecemos. Porém, quando se trata de não ficção, a busca por essa credibilidade é um pouco mais exigente (e de fato deve ser). Portanto, antes de começar a falar sobre o livro, gostaria de falar um pouco sobre o autor: Yuval Noah Harari. Ele é israelense, professor de História na Universidade Hebraica de Jerusalém e especialista em História Mundial e Macro-História (processos que analisam a história de uma forma mais ampla, em busca de identificar tendências e padrões de longo prazo na sociedade). Além disso, este seu livro se tornou um best-seller, assim como seus livros seguintes: Homo Deus e 21 Lições para o Século 21 (que pretendo trazer resenha para o blog futuramente também). Além de tudo isso, o autor possui outras características que mencionarei ao longo da resenha que me fizeram considerá-lo ainda mais como uma referência.

Sapiens é um livro que, assim como seu subtítulo diz, vai narrar a história da humanidade de forma breve e objetiva, dando um panorama desde as primeiras espécies humanas até os dias de hoje. Essa é uma característica que já me agradou, pois quando estudamos história na escola vamos passando lenta e aprofundadamente em cada período da história e por isso saímos de lá sem muita noção de onde cada coisa que aprendemos se encaixa. Por exemplo, aprendemos sobre a Mesopotâmia, sobre o descobrimento do Brasil, sobre a Revolução Francesa, sobre as Guerras Mundiais, mas temos uma noção extremamente fraca sobre onde cada uma dessas coisas se encaixa na História e o que liga esses acontecimentos com os outros. Acredito que uma narrativa com esse papel de apresentar a História de forma macro é muito boa e eficiente (pelo menos para mim foi). E, a partir dela, explorar ramos mais específicos da história. Mas aí já não é mais o papel deste livro.

A História é uma ciência e ela se baseia em fatos. Porém, não é nenhuma surpresa para quem é um pouquinho esperto que a História pode ter interpretações diferentes, ser narrada tendenciosamente e até mesmo ser manipulada e recontada de uma forma falsa, principalmente em jogos de poder como a política e a religião. Por isso, eu acho extremamente importante termos um certo pé atrás com as informações que lemos e ouvimos (motivo pelo qual eu citei a credibilidade em um parágrafo anterior) e buscarmos outras referências. Duas características do autor que me fizeram dar mais credibilidade ao seu texto foram os fatos dele ser homossexual e ateu. Religiões foram um tema frequentemente abordados no livro (afinal elas tiveram papéis importantíssimos na História) e sabendo que o autor era ateu, imaginei que a análise dele seria mais neutra. Harari não teme em contar e questionar movimentos religiosos e políticos que tiveram resultados terríveis ao longo da história.

A linguagem que o autor usa é muito simples e acessível. Sei que esse é um fator bem determinante para o interesse de leitores não acadêmicos, então caso esteja receoso de ler por achar que será muito difícil não se preocupe. Enfim, recomendo muito a leitura, para todos os públicos. Seja você estudante e terá uma absorção melhor do que aprender na escola, ou seja você um adulto que já nem lembra direito o que aprendeu e precisa dar uma revisada nos seus conhecimentos históricos. Este é um livro muito útil.

“Como podemos diferenciar aquilo que é biologicamente determinado daquilo que as pessoas tentam justificar por meio de mitos biológicos? Um bom princípio básico é “a biologia permite, a cultura proíbe”. (…)
A cultura tende a argumentar que proíbe apenas o que não é natural. Mas, de uma perspectiva biológica, não existe nada que não seja natural. Tudo o que é possível é, por definição, também natural. Um comportamento verdadeiramente não natural, que vá contra as leis da natureza, simplesmente não teria como existir e, portanto, não necessitaria de proibição. Nenhuma cultura jamais se deu ao trabalho de proibir que os homens realizassem fotossíntese, que as mulheres corressem mais rápido que a velocidade da luz, ou que elétrons com carga negativa atraíssem uns aos outros.”


Avaliação

Avaliação: 5 de 5.

Se interessou? Compre este livro pelo meu link da Amazon e apoie o blog!

SkoobGoodreads


Sapiens – Uma Breve História da Humanidade

Yuval Noah Harari

ISBN: 978-85-254-3218-6

2015 – L&PM

459 páginas (Pt/Br)

Sinopse: O autor repassa a história da humanidade, ou do homo sapiens, desde o surgimento da espécie durante a pré-história até o presente, mas em vez de apenas “inventariar” os fatos históricos ele os relaciona com questões do presente e os questiona de maneira surpreendente. Além disso, para cada crença ou fato que temos como certa hoje em dia, o autor apresenta as diversas interpretações existentes a partir de diferentes pontos de vista, inclusive as muito atuais, e vai além, sugerindo interpretações muitas vezes desconcertantes. Yuval Noah Harari é professor do departamento de história da Universidade Hebraica de Jerusalém. É especialista em história medieval, militar e mundial.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s