Resenha | As Cavernas de Aço – Isaac Asimov

Olá, Sonhadores! Quem me acompanha sabe que eu gosto bastante de romances policiais e de ficção científica. Porém, eu jamais esperei que esses gêneros fossem reunidos em um livro só! E afinal, por que não? Mesmo no futuro ainda ocorrerão crimes e eles precisarão ser investigados. Eis que foi me apresentado As Cavernas de Aço de Isaac Asimov, um autor clássico da ficção científica que foi ousado em fazer essa mistura, e que falarei hoje aqui.

“Há um impulso humano conhecido como misericórdia, um ato humano conhecido como perdão.
– Não estou familiarizado com essas palavras, parceiro Elijah.
– Eu sei – murmurou Baley. – Eu sei.”

Sobre a História

Neste livro temos uma ambientação bem simples e fácil de compreender até mesmo para quem não tem muita familiaridade com o gênero. Em um futuro em que o planeta Terra foi tão consumido e a tecnologia avançou tanto, cidades gigantescas de aço foram construídas acima do que eram antigamente Nova York, Londres e outras metrópoles. A esta altura também, o ser humano já foi capaz de conquistar o espaço e formar colônias em outros planetas. E é aqui que nossa história começa!

Esses humanos que habitam outros planetas, depois de algumas gerações, passaram a se considerar uma raça mais avançada e não se sujeitaram mais a serem colônias. Eles passaram a ser considerados como Siderais pelo povo da Terra que os viam como seres extremamente arrogantes e perigosos. Os Siderais mantinham o mínimo de contato com humanos, tendo apenas uma “embaixada” no planeta que era extremamente protegida e inacessível. De bônus, os Siderais estavam desenvolvendo robôs quase humanos para executarem serviços, o que preocupava muitas pessoas que se viam profissionalmente ameaçadas de serem substituídas.

Nesse contexto os humanos criaram um grande ranço dos Siderais a ponto de formarem organizações secretas (denominados Medievalistas) com o objetivo de iniciar um guerra contra eles e tentar trazer a Terra ao seu estado natural. Essa revolta só não tomava proporções maiores porque todo mundo sabia que eles não teriam chances, seriam dizimados em um segundo. Sendo assim, o governo e a polícia trabalhavam para manter uma diplomacia saudável. Até que um Sideral é assassinado na embaixada.

Os Siderais decidem dar uma oportunidade para os humanos investigarem e descobrirem quem foi o assassino e suas motivações, afinal eles não tinham provas de que foi um humano quem cometeu o crime, visto que era impossível entrar na embaixada sem ser visto. Então Elijah Baley, um investigador da polícia, passa a trabalhar neste caso em conjunto com R. Daneel Olivaw, um robô determinado pelos Siderais a ajudar na investigação.

Minhas Considerações

Para quem gosta de ficção científica este livro é um prato cheio! Pelo meu breve resumo da história imagino que você já tenha percebido como a criação do universo foi extremamente bem elaborada (e olha que não mencionei diversos detalhes por causa de spoiler). A medida que você for lendo e conhecendo mais sobre como é a vida dos humanos nessas cavernas de aço e toda a história por trás da colonização dos outros planetas, as coisas ficam mais e mais interessantes. Tanto que esse é somente o primeiro volume de uma série. Ainda não li os próximos, mas tenho certeza que as coisas vão ficar muito mais intensas.

Para quem gosta de romances policiais também vai ser bem servido. É algo bem estilo Agatha Christie mesmo. Durante toda a história você fica tentando descobrir quem é o assassino e seus motivos. Elijah e Daneel vão para lá e para cá atrás de pistas e ainda parece que alguém quer atrapalhar as investigações, gerando uma grande tensão com a dupla correndo risco de vida.

Uma coisa que eu me perguntei antes de começar a ler foi como que em um lugar com uma tecnologia tão avançada, a polícia teria dificuldades de encontrar um assassino? Bem, depois que terminei de ler, cheguei a conclusão de que o autor (talvez propositalmente, não sei) poupou de incluir nesse mundo tecnologias voltadas para isso. O livro foi publicado em 1953 e, portanto, muito dos recursos que temos hoje eram inimagináveis naquela época. Então acho que dá pra gente dar essa colher de chá. Me pergunto como um autor lidaria com isso escrevendo um livro nessa mesma proposta atualmente. (Inclusive se você conhece algum me conte!)

Investigação, ação, tramas políticas e sociais, questões filosóficas, tecnologias futuristas, e muito mais! Não tem como não gostar desse livro. Indico para todo mundo! E não se preocupe, neste livro Isaac Asimov tem uma escrita super linear, fluida, objetiva e acessível. Voltarei em breve com a resenha do segundo volume com certeza!

“A maioria dos Terráqueos eram Medievalistas de um jeito ou de outro. Era fácil ser um Medievalista quando isso significava recordar uma época em que a Terra era o mundo, e não apenas um dos 50 mundos. Ainda por cima o desajustado dentre os 50 mundos.”


Avaliação

Avaliação: 4 de 5.

Se interessou? Compre este livro pelo meu link da Amazon e apoie o blog!

SkoobGoodreads


As Cavernas de Aço

Isaac Asimov

ISBN: 978-85-765-7453-8

2019 – Aleph

304 páginas (Pt/Br)

Sinopse: Isaac Asimov é um dos principais nomes da ficção científica mundial e um dos autores com mais obras do gênero publicadas na história. São mais de 500 títulos, sendo a Série Fundação (7 volumes) e a Saga dos Robôs (4 volumes) as obras mais importantes de sua carreira.
Tendo “As Cavernas de Aço” como primeiro volume, a Saga dos Robôs é um dos trabalhos mais notáveis a falar sobre a relação entre o homem e a máquina. Inclusive, dela surgiram as icônicas 3 Leis da Robótica, que tratam de forma ficcional sobre a nossa convivência com os robôs, e ainda hoje é referenciada em diferentes obras da cultura pop.
A Saga dos Robôs, publicada pela Aleph, já vendeu mais de 30 mil exemplares. A população da Terra cresceu de modo desenfreado. Os Mundos Siderais, antigas colônias terráqueas, há muito deixaram de se sujeitar à autoridade de seus colonizadores. Para agravar a situação, os robôs parecem estar substituindo grande parte da mão de obra humana, condenando os cidadãos da Terra a uma vida que mal lhes garante a subsistência. Em meio a esse cenário, o embaixador dos Mundos Siderais é encontrado morto em sua residência na cidade de Nova York. O investigador de polícia Elijah Baley é escalado para investigar o crime, e para cooperar com o inquérito, os Siderais enviam um parceiro inusitado: seu nome é R. Daneel Olivaw, e ele é um robô. Indicado ao prêmio Hugo de melhor romance, o sexagenário As Cavernas de Aço é também uma das principais obras do autor, ao lado de “Fundação” e “Eu, Robô”. Nele, Asimov cria uma narrativa que povoa o imaginário popular de ficção científica e se mantém influente até hoje.

Neste mês de Agosto de 2021 estou fazendo o BEDA com postagens diárias aqui nesses 31 dias! Se você gostou do conteúdo não deixe de curtir e seguir o blog para receber notificações quando sair coisas novas e também me segue no Instagram para interagir comigo lá: @leitordossonhos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s