Leituras Abandonadas

Leituras Abandonadas por P. S. Allen

Olá, Sonhadores! Tudo bem com vocês? Queria dizer que estou muito feliz, pois recentemente voltei presencialmente para a faculdade. Foram dois anos de EaD, então isso me deixa muito animado e empolgado; um sinal de esperança de que toda essa pandemia está começando a passar.

Mas, vamos ao que interessa:  vamos falar dos esquecidos no churrasco, aqueles livros que abandonamos por algum motivo, prometemos que iamos voltar a ler EM ALGUM MOMENTO, mas até agora eles estão lá na listinha infame do Skoob.

Não sei quanto a vocês, mais um fator que me desmotiva muito em um livro é quando ele é muito cheio de divagações, pensamentos que não contribuem tanto assim para a história ou que claramente foram colocados ali para “encher linguiça”. Outro fator que me faz abandonar algumas histórias é a falta de “ação”, não necessariamente um plot ou adrenalina logo no início, mas a falta de crescimento, expectativa de que algo vai acontecer, ou seja, narrativas paradas. Se um livro não me captura nas 50 ou 100 primeiras páginas (caso ele seja muito grande), a probabilidade que eu não chegue ao final é alta.

Alguns leitores são contra o abandono de livros, dizem que isso não é legal ou que devemos estar abertos a ler até aquilo que não gostamos. Porém, quando eu sento para ler alguma coisa, eu tenho a expectativa de que seja um momento de relaxamento, que a história me distraia, me divirta, me ensine algo e que me deixe focado e imerso naquele instante; imaginar tudo o que está acontecendo no livro. Eu acho uma perda de tempo investir em uma leitura onde fico me distraindo toda hora, bocejando ou desmotivado para ler.

Assim, hoje quero trazer alguns livros que comecei a ler e acabei parando por alguns motivos específicos.

1 – Drácula – Bram Stoker

Eu ganhei esse clássico de uma amiga quando estávamos no ensino médio: ela fez dedicatória, trouxe ele embrulhadinho e escolheu esse porque sabia que eu queria muito lê-lo. Porém, quando abri o livro e comecei a ler, não passei da página 50. O livro é escrito em cartas e, particularmente, eu não gosto muito desse formato. Um dos poucos livros que consegui terminar e que é assim foi “As Vantagens de Ser Invisível” (que eu gosto muito por sinal). Um livro nesse formato que está na minha lista de leitura também é Lady Susan da Jane Austen. Vamos ver como será…

2 – Garota Exemplar – Gillian Flynn

Eu acho esse livro superestimado. Na verdade, eu nem gosto muito devido aos muitos clichês que cercam a história. Já assisti ao filme e me dei por satisfeito em não querer mais ler o livro. Mas, antes disso tudo, claro que tinha ouvido MUITO a respeito dessa narrativa. Quando consegui o livro e fui ler, achei meio desinteressante. Eu também tenho “Objetos Cortantes” dessa mesma autora. Alguém sabe me dizer se é bom e diferente?

3 – O Iluminado – Stephen King

Para um grande fã de King, alguns livros são leituras obrigatórias, como Carrie e O Iluminado. Porém, esse livro está entre um dos piores que o Stephen King já escreveu: nada acontece nunca! EU já comecei a ler umas duas ou três vezes e nem na página 50 eu consegui chegar; e olha que conheço Stephen muito bem a ponto de saber que tem que ser insistente na leitura, pois melhora bastante com o tempo. Mas esse aqui… não foi, infelizmente.

4 – Convergente – Veronica Roth

Eu gostei muito de Divergente. Quando li o primeiro livro da saga eu estava na vibe de distopias (assim como o mundo todo). Eu li bem rápido e já tratei de ir até a biblioteca pegar o segundo livro porque estava muito curioso. MEL DELS que livro ruim! Pra mim, Insurgente nem deveria existir porque não contribui nada para a história, mas insisti e fui até o final. Ainda motivado pela curiosidade e pelo pensamento “bom, já li dois de três, então bora pro último” comecei a ler Convergente e me arrependo, pois detestei os poucos capítulos que li. O livro é narrado do ponto de vista de dois personagens, e até aí tudo bem, se não fosse pelo fato de, em determinado momento, você confundir quem está narrando e não saber mais quem está falando o quê.

5 – O Sangue do Olimpo – Rick Riordan

Foram cinco livros na primeira jornada (que gosto bastante e assim como Harry Potter sempre vou incentivar a leitura) e mais cinco livros na segunda jornada. E eu fiz o que? Parei na metade do último livro! MAS POR QUÊ? Pelo simples fato de já estar arrastando esse abandono há dois livros. “Os heróis do Olimpo”, do ponto de vista das motivações e elementos do universo greco-romano, é tão bom quanto a primeira saga. O erro do Rick Riordan foi tentar fazer livros maiores, com elementos que não agregaram muito a série, sem contar com fato de haverem outros personagens principais sendo que Percy Jackson ainda era muito querido pelo público. Simplesmente foi mal planejado. 

Bom, mesmo que a minha experiência com essas leituras não tenha sido a mais legal, quem sabe um dia eu torne a investir nelas (ou não kkkk). Mas quero deixá-las como indicação, pois tenho certeza que elas podem agradar muito a outras pessoas. 

Até a próxima!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s