Sobre Exposição na Internet

Sobre Exposição na Internet

Olá, Sonhadores! Estive pensando esses dias que eu me exponho muito na internet e, ao mesmo tempo, eu não sou uma pessoa que parece se expor muito na internet. Conheço muita gente muito mais “popular” do que eu, que com certeza teria centenas, talvez milhares de seguidores, por exemplo, mas que não usam redes sociais por não se interessarem. E eu sou uma pessoa super reservada, tenho poucos amigos e não sou nem se quer muito aberto para falar da minha vida. Mas aqui no blog eu falo bastante coisa, principalmente depois que comecei essa série de posts “Sobre Alguma Coisa” desde que saí da casa dos meus pais.

Para dar um breve update sobre como andam as coisas por aqui: está tudo bem, nada de mais aconteceu. E as reformas nas ruas do estacionamento continuam a pouco vapor, ninguém aguenta mais essa demora. É um transtorno todo mundo deixar os carros na rua que não ter vagas para todo mundo. Mas enfim, fora isso está tudo certo. Já estamos naquela fase em que aprendemos todo o fundamental sobre cuidar de uma casa e agora as coisas ficaram estáveis.

E por não ter o que contar, a gente começa a pensar. E aí surgem um monte de nóias. Uma delas, que é a que vou dar destaque hoje, é o fato de talvez eu estar me expondo demais. Ela me despertou porque nos últimos dias tenho visto muita gente falar sobre isso. Muitos casos de coisas absurdas que faz parecer que só estaremos seguros se moramos isolados no meio do mato (o que, pra mim, já é menos seguro ainda, masok). Por exemplo, alguém pode facilmente se passar pela gente sabendo de tantos fatos da nossa vida que teoricamente só nós saberíamos. Por exemplo dentro do exemplo, semana passada fiz um post contando minha relação com a Nintendo e aqueles fatos são, basicamente, só do meu conhecimento. Mas agora todo mundo sabe. Se alguém te pedir pra você provar que você é eu, você pode contar esse caso. Claro que isso não prova nada, mas é uma camada importante para farsas. Quem nunca viu em livros e filmes espiões que quando se passam por outra pessoa estudam a vida dela para evitar levantar suspeitas?

Enfim, fora essa recente fase de exposição que tenho passado aqui no blog, eu nunca me expus muito. Raramente atualizo minhas redes sociais pessoais, por exemplo. E por ser uma pessoa muito reservada, sinto que essa fase tem sido uma experiência nova para mim, um treino para ser uma pessoa mais aberta, talvez? Lembro que já comentei aqui em algum momento que parte da existência do blog foi para me ajudar a expor o que eu crio sem ter vergonha e medo de julgamentos. Nos primeiros meses do blog eu lia e relia mil vezes cada post para não postar nada de errado. Hoje em dia é uma revisão só, porque é o que consigo fazer de forma saudável. O medo e a vergonha não me afetam mais aqui.

Acho que no fim das contas o importante é ter um equilíbrio (como quase tudo na vida). Também acredito que exposição por exposição, por ego, é inútil. Você nunca vai se sentir realizado nisso. E sabemos que a maior parte das exposições na internet são assim, desde um textão no LinkedIn dizendo como você é um sucesso profissional, até a foto biscoiteira do “tanquinho” depois da academia. Não que seja ruim ou errado, mas vale refletir: para quê estou me expondo assim? Eu sinto que quase sempre é uma questão de pertencimento a um grupo, querer estar dentro dos padrões, do que é mais bem visto por todos. Mas aqui eu já estou divagando para outros assuntos. Talvez eu traga reflexões sobre eles mais pra frente também, mas por hora vou ficando por aqui. Até a próxima!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s