Reflexões sobre programação e literatura

Eu me considero uma pessoa criativa. Desde pequeno, eu sempre desenhei e escrevi todas as histórias que se passavam na minha cabeça; sempre gostei de criar!

Foi na programação que eu descobri que tenho infinitas possibilidades de criação. Sendo programador, eu posso fazer tudo o que eu quero num ambiente virtual.

Mas o que é a programação em si ? A programação é quando alguém, através de lógica e de uma linguagem, escreve comandos que vão executar ações.

Na literatura, um escritor, através de uma linguagem, pode escrever uma história. Porém, ao invés de se passar em um ambiente virtual, ela será imaginada pela mente do leitor. Tanto um escritor, quanto um programador, tem a mesma liberdade criativa para fazer o que quiserem dentro dos domínios das suas criações.

Acho que pouca gente para pra pensar nisso, visto que são raras as pessoas que tem conhecimento do que é a área de programação (apesar de conviverem com tecnologias o tempo todo). Pense num jogo de videogame, por exemplo. Existe uma programação por trás (não esquecendo, claro, do trabalho de todos os envolvidos na parte visual e sonora) e existe também uma história ou, pelo menos, um contexto.

Eu vejo muitas semelhanças entre programar e escrever. Sei que cada coisa tem um objetivo, mas essas semelhanças me fazem considerar que assim como escrever é uma arte, programar também é.

Sinceramente, eu não sei onde eu quero chegar com esse texto. Acontece que a escolha da minha profissão ter sido baseada em eu poder aplicar toda a minha criatividade em um lugar não convencional, sempre me faz ter vontade de compartilhar com outras pessoas para que elas possam ter a chance de conhecer isso também.